Pesquisar

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Na briga pela abertura, ministro elogia Brasília Capital federal, Salvador e Belo Horizonte são as concorrentes de São Paulo para a abertura

Três dias depois de a Câmara dos Vereadores aprovar o projeto de incentivo fiscal de R$ 420 milhões para a construção do estádio do Corinthians, na zona leste, que é a opção da capital para receber o jogo de abertura da Copa do Mundo de 2014, o ministro do Esporte, Orlando Silva, disse que Brasília se credencia "fortemente" para abrir a Copa.

"O estádio [Mané Garrincha, em Brasília] ter executado mais de um terço do programado é um resultado extraordinário e aumenta nossa confiança de que esse será um dos estádios que cumprirão o cronograma. Brasília, na medida em que cumpre seu cronograma, se credencia fortemente para poder receber a abertura do mundial", disse o ministro, em coletiva de imprensa após vistoria antibomba e das obras do estádio brasiliense. Além de Brasília e São Paulo, Salvador e Belo Horizonte também disputam a abertura.

Durante a coletiva, foi perguntado ao ministro se a construção do estádio do Corinthians não corria o risco de ficar sem dinheiro e que, dessa forma, São Paulo poderia ficar fora do Mundial, já que a isenção de R$ 420 milhões está vinculada ao estádio receber o jogo inaugural. "Pergunte ao prefeito e à Câmara de São Paulo", disse.

Projeto

A isenção aprovada pela Câmara Municipal na sexta-feira prevê que o Corinthians vai receber Certificados de Incentivos de Desenvolvimento (CIDs) para abatimento de 60% do Imposto sobre Serviços (ISS) e 50% do Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU). Esses certificados poderão ser negociados no mercado, e os recursos captados, R$ 420 milhões no total, poderão ser usados na construção do estádio.

Para aprovar o projeto, no entanto, os vereadores condicionaram o uso dos CIDs ao estádio receber a abertuta da Copa do Mundo. Sem a partida inaugural não haverá isenção. O projeto deve ser sancionado nesta semana pelo prefeito Gilberto Kassab.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário sobre essa notícia