Pesquisar

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Samu Norte Pioneiro começa a funcionar dia 30 de abril

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), previsto para começar a funcionar no próximo dia 30 no Norte Pioneiro. A implantação do serviço é uma parceria entre os governos federal, estadual e 37 municípios que totalizam mais de 439 mil habitantes.

Os contratos com as prefeitura que aderiram ao serviço já foram firmados, as ambulâncias já chegaram e o pessoal que vai trabalhar está contratado. Está para ser confirmada a vinda do ministro da Saúde, Alexandre Padilha, para a inauguração oficial do serviço.

O Samu Norte Pioneiro tem como sede a cidade de Cornélio Procópio, onde ficará a chamada Central de Regulação Médica de Urgências. É esta central que vai receber todas as ligações pelo número 192 dos municípios participantes do sistema e fazer a triagem de acordo com as características do atendimento e a cidade de origem da chamada.

O Samu será ativado com 10 ambulâncias básicas e três ambulâncias avançadas que são, na prática, unidades de terapia intensiva (UTI) móveis. Os veículos ficarão distribuidos de maneira estratégica nos municípios da região, de acordo com o tamanho da cidade.

As ambulâncias básicas ficarão em Andirá, Bandeirantes, Cornélio Procópio, Ibaiti, Jacarezinho, Ribeirão do Pinhal, Santo Antonio da Platina, São Jerônimo da Serra, Siqueira Campos e Urai. E as ambulâncias avançadas nas cidades de Cornélio Procópio, Jacarezinho e Ibaiti.

A implantação do serviço é uma parceria entre os governos federal, estadual e as prefeituras, a quem cabe uma contrapartida mensal de R$ 0,25 por habitante. Um município de 4 mil habitantes, por exemplo, vai contribuir mensalmente com R$ 1 mil para manutenção do serviço.

Para a coordenadora do serviço, Vanessa Alcântara de Oliveira, a ativação do Samu é um sonho que se realiza. ''Nós teremos equipes capacitadas com médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e condutores especializados que poderão salvar vidas ou reduzir as sequelas dos pacientes que precisam daquele atendimento de urgência ou emergência'', afirma.

Dificuldades

Vanessa manteve contatos com todas as prefeituras da região para explicar o funcionamento do serviço aos prefeitos e aos secretários de saúde. Segundo ela, houve dificuldades de algumas pessoas em assimilar o processo ou mesmo a mudança de interlocutor durante as negociações, o que obrigou o reinício das conversas praticamente do ''zero''. Outras prefeituras ofereceram uma certa resistência por terem que contribuir para a implantação antes que o serviço fosse ativado.

Foi assinado um termo de adesão com as 37 prefeituras que decidiram participar do serviço. Outras seis resolveram ficar fora do sistema, principalmente sob a alegação de que já tem estrutura para o atendimento da população. As cidades que ficaram fora são Barra do Jacaré, Cambará, Quatiguá, Santana do Itararé, São José da Boa Vista e Wenceslau Braz.

Vanessa acredita que algumas prefeituras que ficaram fora poderão participar depois que verem o sistema implantado e receberem cobrança da população sobre os motivos da ausência. ''O Samu é um serviço que funciona em todos os estados e funciona bem, com ótima credibilidade'', afirma Vanessa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário sobre essa notícia