Pesquisar

domingo, 22 de julho de 2012

Cerca de 100 pessoas fecharam a PR-090, em Piraí do Sul, por 30 minutos

Cerca de 100 moradores fizeram um protesto na PR-090, em Piraí do Sul, na região central do Paraná, por volta das 8h30 desta sexta-feira (20). O grupo reivindica a instalação de redutores de velocidade no trecho. Desde o início de 2012 foram registrados 41 acidentes na rodovia com 78 feridos e 15 mortos. O último acidente foi na segunda-feira (16) e envolveu um caminhão e um ônibus de turismo. Dez pessoas morreram e 42 ficaram feridas. O grupo iria participar do Congresso da Sociedade Brasileira de Computação (CSBC), realizado no Centro Politécnico da Universidade Federal do Paraná (UFPR).
"Nós queremos chamar a atenção das autoridades. Eles precisam perceber que aqui é um trecho perigoso e que precisa de mais atenção e sinalização. Se continuar do jeito que está, qualquer um de nós pode ser a próxima vítima", disse o agricultor José Marcos Memi.

Os manifestantes chegaram a fechar a rodovia por cerca de 30 minutos e sinalizaram o trecho do KM 155 com 15 cruzes, que simbolizam o total de vítimas envolvidas em acidentes desde o início do ano. Segundo a Polícia Rodoviária Estadual (PRE), não houve registros de congestionamento.

O Departamento de Estradas de Rodagem (DER) informou, por meio da assessoria de imprensa, que está avaliando a situação. Disse também que já marcou uma reunião com a concessionária que administra o trecho - Rodonorte, e que terá uma nova posição na próxima semana.

A Rodonorte disse em nota que está avaliando a sinalização nas imediações da Serrinha, na rodovia PR-090, para – se necessária, posterior tomada de posição visando a segurança dos usuários. Informou ainda que "no dia 17 de novembro de 2011, concluiu no local, conforme determinação do DER, a implantação de sinalização diferenciada, composta de placas fornecidas pelo próprio Departamento de Estradas. Também foi feito reforço de sinalização de solo".

Depoimentos

O condutor do ônibus que se envolveu no acidente da segunda-feira já foi liberado do hospital na quarta-feira (18) e voltou para Belém. Até a manhã desta sexta ainda não havia prestado depoimento. Ele deverá fazer isso por meio de uma carta explicatória, segundo a polícia.

Já o motorista do caminhão, que também se envolveu na colisão, já prestou depoimento e negou a versão anterior da polícia, que havia dito que ele teria invadido a pista contrária e atingido o ônibus. O inquérito policial deve sair em 30 dias.

Permanecem internadas

Quatorze das 42 pessoas que ficaram feridas permanecem internadas em hospitais do Paraná. Uma delas está na UTI do Hospital Bom Jesus, em Ponta Grossa. Sete dos dez mortos foram sepultados juntos em Belém, no Pará, na manhã de quinta-feira (19). Dezenas de estudantes das Universidades Federal do Pará (UFPA) e Rural da Amazônia (UFRA) estiveram no local para se despedir dos amigos.

Tanosite.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário sobre essa notícia