Pesquisar

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

SAMU - Enfermeiros e motoristas ameaçam deixar o serviço por falta de pagamento.

atraso de salários de enfermeiros e motoristas coloca em risco o funcionamento do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), inaugurado há quatro meses para o atendimento de 41 municípios na rede do Norte Pioneiro. Parte dos funcionários ameaça deixar suas funções devido a irregularidade dos ordenados. Com vencimento previsto para o dia 5 de outubro, até ontem nenhum deles havia recebido o salário, que é feito pela Support Med, empresa terceirizada contratada para o serviço.
O problema é generalizado nas bases do Samu instaladas em 15 municípios. Na região, as bases de Andirá, Bandeirantes, Ribeirão do Pinhal, Santo Antonio da Platina e Siqueira Campos, Jacarezinho e Ibaiti contam com funcionários trabalhando sem salários. “Todo mês acontecem atrasos e ninguém nos passa uma posição ou motivo porque isso ocorre. A situação é preocupante, pois este mês não temos noção de quando vamos receber, A única saída para reivindicarmos nossos direitos é paralisando o atendimento”, desabafou um funcionário que não quis se identificar.
De acordo com o contador da Support Med, Marcos Antonio Serra, os pagamentos estão atrasados por falta de repasse do Consórcio Intermunicipal de Saúde do Norte do Paraná (Cisnopi). “Desde o início do contrato, o consórcio não vem honrando com o valor das parcelas que devemos receber desde junho. Os pagamentos têm sido parciais e atrasados. Diante disso, é impossível que a empresa se responsabilize com pelos salários dos funcionários, já que não recebe o acordado para isso”, afirmou.
Serra diz que os atrasos acumulados do Cisnopi com a empresa chegam a R$1 milhão. “Estamos tomando medidas para regularizar o pagamento dos funcionários, levantando recursos, inclusive empréstimos, para que eles não sejam prejudicados. Enquanto isso, a empresa irá tomar todas as medidas cabíveis e jurídicas para receber do Cisnopi, levando o caso ao Ministério Público”, anunciou o contador.
A versão da empresa é contestada pela diretora do Departamento de Saúde de Cornélio Procópio e coordenadora geral do Samu, Alexsandra Marcovanti Mariucci. Ela diz que as contas do consórcio estão em dia com a empresa e que o repasse dos recursos é feito mediante apresentação das guias trabalhistas comprovando o pagamento dos salários. “Está fixado no contrato com a empresa que o pagamento é feito após apresentação da nota, que ainda não foi enviada este mês. A empresa é obrigada a saldar a folha trabalhista até o quinto dia útil do mês, após isso fazemos o pagamento, que é originado de recursos públicos, mas é precisa de uma comprovação”, explicou. A diretora nega a existência de dívidas com a empresa. “O Cisnopi manteve em dia todos os pagamentos dos meses anteriores e se não houver a quitação da folha de pagamento dos funcionários iremos notificar judicialmente a Support Med” disse.
Presidente do Cisnopi e prefeito de Santa Cecília do Pavão, Edmar Aparecido Pereira dos Santos também contraria a versão da Support Med e diz que os repasses estão em dia. “A manutenção é paga através da união de repasses do governo federal e estadual e também de contrapartida dos municípios beneficiados que são depositados conforme assembleia do Fundo de Saúde de Cornélio Procópio. Portanto, a transferência para empresa acontece até o dia 10 de cada mês, e ela fica responsável pelos pagamentos dos funcionários, conforme o contratato”, descreve.
“A Support Med aceitou o serviço, portanto deve honrar com seu compromisso com os funcionários, e assim que apresentar nota faremos o pagamento”, anunciou.
Uma reunião entre ambas as partes está prevista para a próxima segunda-feira, 15. De acordo com Serra, se a empresa não disponibilizar o pagamento dos médicos, enfermeiros e motoristas, o Cisnopi irá acionar judicialmente a Support Med. “Temos conhecimento dos atrasos e já notificamos a empresa sobre essa situação. O Cisnopi apenas repassa o recurso, cabe a ela se responsabilizar e planejar o pagamento dos funcionários. Se a empresa não promover o pagamento irá descumprir com o contratato e assim tomaremos providências cabíveis e judiciais”, afirma.

com informações Tanosite.com 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário sobre essa notícia