Pesquisar

terça-feira, 2 de julho de 2013

Agricultores terão mais recursos para custeio e investimento


O bom desempenho da agricultura paranaense estimulou o Banco do Brasil a disponibilizar R$ 11,2 bilhões no ano safra 2013/14, 16,6% a mais que na safra anterior. Os recursos são para custeio e investimento, na linha de crédito rural, com juros de 3,5 a 5,5% ao ano, os mais baixos do mercado. O anúncio foi feito nesta segunda-feira (1.º/07) na Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento.

Na safra 2012/13, encerrada sexta-feira (28/06), o Paraná foi o estado que mais captou recursos no Banco do Brasil com volume de R$ 9,6 bilhões, aplicados em custeio, investimento e comercialização. O banco divulgou os recursos disponíveis e estratégias para a safra 2013/14 a partir de Brasília, para todo o País, via conferência eletrônica com a participação do seu conselho diretor.
O secretário Norberto Ortigara, presente ao encontro, avaliou que o agricultor paranaense demonstrou ousadia na captação de recursos e na sua capacidade de produção com uma produção acima de 38 milhões de toneladas. De acordo com o gerente de Agronegócio do Banco do Brasil, Pablo Ricoldy, o Estado tem a taxa de inadimplência mais baixa do País, ao redor de 0,5%.
Segundo levantamento do BB, na safra 11/12, o maior destino dos recursos foram para o custeio das lavouras. Já na safra seguinte, os recursos foram aplicados mais em investimentos, que significa otimismo no campo e que o produtor está estruturando sua propriedade.
FAMILIAR – Na prestação de contas do ano safra encerrado na semana passada, Ricoldy destacou o crescimento da participação da agricultura familiar na captação de financiamentos na linha de crédito rural do BB. A captação de 9,6 milhões em recursos representou um crescimento de 27% sobre a safra anterior, sendo que somente a agricultura familiar teve crescimento de 35% com o desembolso de R$ 1,7 bilhão. Segundo Ricoldy, a maioria desses contratos foi destinada a investimentos na pequena propriedade.
AEN

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário sobre essa notícia