Pesquisar

sábado, 20 de julho de 2013

Técnico em informática é preso por Exploração Sexual Infantil

Caetti Almeida Martins, 31 anos, foi preso na noite desta sexta-feira, 19, pela Polícia Militar de Santo Antônio da Platina, dentro das instalações da FANORPI (Faculdade do Norte Pioneiro), onde trabalha como técnico em informática, acusado de Exploração Sexual Infantil. Segundo a PM, uma vizinha denunciou Martins depois que a vítima, uma adolescente de apenas 12 anos, contou ter recebido R$ 20,00 para ficar nua dentro do quarto do acusado. Ainda segundo a adolescente, Martins também se masturbava.
O acusado foi levado para sede da 4ª Companhia, e, enquanto o era ouvido pela equipe que efetuou a sua prisão (cabo Querino e soldado Rodrigo), mais vítimas foram identificadas e também confirmaram terem sido aliciadas por Martins. Dentre elas, além da adolescente apontada pela denunciante, outras duas meninas com 12 e 14 anos, e duas crianças, com 7 e 10 anos de idade.
Martins nega as acusações, mas confirma ter dado dinheiro às vítimas, que segundo ele, são pobrezinhas. Questionado sobre o porquê das “doações”, ele respondeu: “Porque sou bonzinho”.
O acusado foi encaminhado para a 38ª Delegacia Regional de Polícia, onde o delegado, Tristão Borborema de Carvalho, depois de ouvir as testemunhas, familiares e as vítimas, já por volta das 2 horas da madrugada de sábado, 20, indiciou Martins pelo crime de Exploração Sexual Infantil, conforme prevê o artigo 218 B do Código Penal (Submeter, induzir ou atrair à prostituição ou outra forma de exploração sexual alguém menor de 18 (dezoito) anos ou que, por enfermidade ou deficiência mental, não tem o necessário discernimento para a prática do ato, facilitá-la, impedir ou dificultar que a abandone). A pena para o crime pode variar entre 4 a 10 anos de reclusão. De acordo com o delegado, os depoimentos apontam que Martins atraia as vítimas até a sua casa em troca de dinheiro e depois delas ficarem nuas ele se masturbava. No entanto, segundo as próprias vítimas, não houve a conjunção carnal, o que descarta o crime de estupro de vulnerável. Porém, todas as vítimas serão submetidas a exames de corpo de delito no início da semana, e, caso o abuso seja confirmado, Martins também responderá por estupro.
Na delegacia, chorando muito, o pai de três vítimas (7,10 e 12 anos) aliciadas por Martins entrou em desespero. Enquanto aguardava para prestar depoimento, o pai das meninas foi até o local onde o acusado estava e precisou ser contido.
Martins está recolhido em uma cela separada dos demais presos, onde aguardará a decisão judicial, já que o crime é inafiançável.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário sobre essa notícia