Pesquisar

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

IDHM da região cresce 18% em 10 anos


Jacarezinho - Os municípios do Norte Pioneiro alcançaram uma "elevação considerável" no Índice Desenvolvimento Humano Municipal (IDH-M) na última década, segundo a avaliação do professor Fernando Antônio Sorgi, economista da Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP). Considerando a variação média de cada município, o IDH da região aumentou 18%, entre os anos 2000 e 2010, que servem de referência para o estudo. 

Os indicadores do IDH-M 2010 foram divulgados na semana passada pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). O índice varia de 0 a 1 e, quanto mais próximo de 1, melhor a avaliação do município. A situação de cada localidade é apontada em cinco faixas: "muito baixo", "baixo", "médio", "alto" e "muito alto". 

Os municípios do Norte Pioneiro se concentram nas duas faixas intermediárias, "médio" e "alto". Não houve nenhum município nas faixas "muito baixo" e "baixo" e nem na faixa mais elevada, a "muito alto", cujo o índice gira entre 0,800 e 1. 

Em comparação com os indicadores do ano 2000, 11 municípios da região avançaram duas faixas em 2010, 34 avançaram uma faixa, quatro permaneceram na mesma faixa. e nenhum teve variação negativa no período. 

Os municípios com os maiores avanços na década foram Curiúva, com 36%; Sapopema, com 30%, e Ibaiti, com 29%. Curiúva, que estava na faixa "muito baixo" no ano 2000, com a pontuação 0,482, passou para a faixa "médio" em 2010, com 0,656. E os três municípios com as menores variações no período foram Sertaneja, com 8%, e Cornélio Procópio e Nova Fátima, com 10% (leia mais nesta página). 

Avaliação
O professor Fernando Sorgi fez uma análise dos números e concluiu que a elevação do IDH no Norte Pioneiro foi motivada principalmente pela maior expectativa de vida da população, que aumentou mais de 10 anos nas últimas décadas, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE). Ele explica que o IDH médio, que aparece como resultado final, é a soma dos indicadores dos índices de longevidade, educação e renda per capita. 

A região já havia identificado um aumento na renda per capita em quase todos os municípios pelos números divulgados pelo IBGE no começo do ano. Mas este aumento, segundo o professor, não pode ser traduzido em desenvolvimento humano porque o Norte Pioneiro se caracteriza pela concentração de renda. Ou seja, alguns municípios podem até ter uma renda per capita elevada, mas não porque a renda é distribuída de forma igualitária, e sim porque alguns setores da atividade econômica obtém melhores resultados financeiros. 

Para o professor, o item que dá maior sustentação ao desenvolvimento é a educação. "Com educação, a pessoa tem mais informação, se alimenta melhor, tem mais saneamento básico e consegue produzir cada vez mais com menos, e isso custa dinheiro", afirma. Sorgi cita o exemplo da Coreia do Sul que teve um "desenvolvimento extraordinário" e hoje é referência em todo o mundo por ter feito investimentos maciços em educação. 

Ele afirma que as cidades da região que apresentaram os melhores resultados são exatamente aquelas que têm melhor estrutura em termos de educação, em especial no ensino superior. Ele diz que a educação deve ser prioridade para que o desenvolvimento chegue a todos os municípios. 

Barra do Jacaré
O pequeno município de Barra do Jacaré, que tem apenas 2.727 habitantes, de acordo com o censo de 2010, ficou com o segundo lugar no Norte Pioneiro, atrás apenas de Cornélio Procópio e na frente de Jacarezinho, que é 15 vezes maior. Sorgi diz que o município apresentou altos índices em termos de longevidade e educação. "Isso aponta que as pessoas estão mais dispostas ao ensino e que tem uma expectativa de vida maior em função da qualidade de vida causada pelo baixo nível de estresse", justifica. 

Folha web

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário sobre essa notícia