Pesquisar

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Gleisi cobra Beto Richa sobre ofensas no Facebook

A ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann (PT), divulgou uma nota na noite de quarta-feira (27) comentando as ofensas sofridas por ela em dois perfis do Facebook ("Gleisi Indelicada" e "Gleisi Não"), que acabaram desativadas pela rede social após determinação do Tribunal Regional Eleitoral (TRE). 

Informações do próprio Facebook dão conta de que as páginas eram financiadas por José Gilberto Maciel, cargo comissionado da Agência Estadual de Notícias (AEN), o órgão de comunicação oficial do Governo do Estado. 

"Considero lamentável e preocupante a informação de que um funcionário comissionado do Governo do Estado do Paraná tenha criado um perfil falso e anônimo na internet com o único objetivo de me insultar e caluniar", argumenta Gleisi na nota. 

A ministra criticou o fato de o perfil anônimo ter tentado indispô-la com as associações de Pais e Amigos do Excepcionais (Apaes), "instituição da qual sou aliada histórica". 

Gleisi destaca, ainda, que o TRE "reconheceu que a página na internet violava meus direitos 'com referências grosseiras' e determinou a divulgação do nome do caluniador, bem como a exclusão do perfil da internet". 

"Assim, acredito que agora cabe ao chefe do poder executivo estadual, ao governador, esclarecer e explicar as atividades de seu servidor quando, em seu horário de trabalho, me atacava e difamava por meio de um falso perfil, bem como a origem dos recursos utilizados para o pagamento das faturas que espalharam mentiras pelas redes sociais", cobra a ministra na nota. "Como já disse mais de uma vez, até entre adversários há que haver limites", completa.

Guilherme Batista - Redação Bonde

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário sobre essa notícia