Pesquisar

domingo, 17 de novembro de 2013

Paraná monitora lagarta que está destruindo a soja

A lagarta Helicoverpa armigera, que está atacando a cultura do soja em todos os Estados produtores, foi encontrada também em lavouras do Paraná, o que obrigou a Secretaria de Agricultura e Abastecimento (Seab) a adotar medidas urgentes para monitorar sua presença no Estado.
O secretário Norberto Ortigara constituiu m grupo técnico para ampliar o trabalho de vigilância que será executado pela Agência de Defesa Agropecuária (Adapar) e Embrapa Soja para identificação da lagarta nas lavouras paranaenses, e o Instituto Agronômico do Paraná (Iapar) nas lavouras subsequentes.

Com o monitoramento, o Estado quer produzir um diagnóstico sobre a ocorrência da praga e sua participação no conjunto de lagartas que podem causar danos às lavouras e a indicação de soluções adequadas a serem adotadas pelos agricultores.

A decisão é uma resposta às cooperativas e produtores paranaenses que, em reunião na Secretaria, manifestaram preocupação com a possibilidade da infestação da lagarta nas lavouras de grãos do Paraná.

A reunião foi acompanhada pelo presidente da Adapar, Inácio Afonso Kroetz, pelo superintendente da Ocepar, Nelson Costa, e técnicos da Embrapa Soja, da Fundação ABC, da Federação da Agricultura do Estado do Paraná (Faep) e de cooperativas.

A Adapar e a Embrapa Soja, de Londrina, se anteciparam à preocupação dos produtores e executam um monitoramento da ocorrência de lagartas do grupo Heliothinae, que prevê a coleta de lagartas e acompanhamento de 60 lavouras de soja distribuídas no Estado.

Segundo o diretor de defesa agropecuária da Adapar, Adriano Riesemberg, ao final da safra 2013/14 será possível apresentar um resultado consistente sobre o grau de incidência da lagarta em lavouras de grãos no Estado, eventuais prejuízos provocados por ela e eficiência de tratamentos aplicados.

Notícias sobre a lagarta Helicoverpa armigera estão provocando pânico entre os produtores. Trata-se de uma espécie impossível de ser identificada a campo. No entanto, o pesquisador da Embrapa Soja Adeney de Freitas Bueno afirma que para fins de manejo a identificação da espécie não é relevante, ou seja, o manejo recomendado para outras lagartas do grupo Heliothinae se aplica à espécie Helicoverpa armigera.

O Diario