Pesquisar

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Governador Beto Richa lança programas de apoio à saúde

O governador Beto Richa lança nesta segunda-feira (16), durante a abertura do XXIX Congresso Estadual das Secretarias Municipais de Saúde, em Maringá, duas ações importantes para qualificar o atendimento da rede pública de saúde do Paraná. As medidas incluem investimentos em hospitais de pequeno porte e unidades da saúde da família e beneficiam todas as regiões do Estado.
O primeiro anúncio é a expansão do programa de apoio e qualificação dos hospitais públicos e filantrópicos do Paraná – HospSUS. A partir de agora, hospitais públicos com menos de 50 leitos também serão atendidos e vão receber recursos de custeio e capital para investimentos em obras e equipamentos.
Com a medida, o governo pretende fortalecer estas unidades que geralmente enfrentam dificuldades financeiras. Atualmente, 70% dos hospitais paranaenses se encaixam neste perfil. Para participar do programa, eles terão de cumprir metas específicas de qualificação.
O HospSUS é um programa inovador do Governo do Estado que qualifica hospitais públicos e filantrópicos. Lançado em 2011, o programa muda a lógica de relação entre o Estado e os prestadores de serviços do Sistema Único de Saúde e possibilitou a ampliação de leitos de UTI neonatal, pediátrica e adulto em todo o Paraná.

TELESSAÚDE – A outra medida é o lançamento do programa Telessaúde, que incorpora novas tecnologias de comunicação ao Sistema Único de Saúde do Paraná. A ferramenta propicia consultoria técnica ou segunda opinião aos profissionais das unidades da saúde da família através de modernos equipamentos de conexão e imagem.
A tecnologia vai permitir que médicos da atenção primária tirem dúvidas sobre casos clínicos, inclusive com chamadas em tempo real. Dentistas, fisioterapeutas, enfermeiros e outros profissionais também poderão utilizar o sistema.
“Isso vai melhorar as condições de atendimento nas unidades, pois aproxima os profissionais de saúde de pequenos municípios aos grandes centros e evita que o usuário seja encaminhado para serviços fora do seu município de origem”, afirma o secretário estadual da Saúde, Michele Caputo Neto.
O serviço de consultoria utilizará a expertise de quatro universidades públicas paranaenses: UFPR, UEM, UEL e UNIOESTE (Cascavel). As instituições serão responsáveis por operar os polos de referência técnica – que irão funcionar em regime de plantão com profissionais capacitados para atender as principais demandas da atenção primária.
Nesta primeira fase, 269 municípios participam do programa. Serão instalados 482 pontos do Telessaúde, que incluem computadores, webcams, impressoras, microfones e fones de ouvido, câmeras fotográficas convencionais e intraorais e outros aparelhos médicos e de informática. Também foram adquiridos 90 eletrocardiógrafos para reforçar a estrutura de unidades que não contavam com o equipamento de diagnóstico.
Os equipamentos foram adquiridos com recursos federais e do Governo do Estado. O investimento total é de R$ 3,5 milhões. Além disso, o Estado destinará recursos de custeio dos núcleos do Telessaúde nas universidades no valor de R$ 1,1 milhão.
AE

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário sobre essa notícia