Pesquisar

terça-feira, 31 de outubro de 2017

PREFEITURA MUNICIPAL DE S J DA SERRA INICIA PLANTIO DE 200 ÁRVORES PELE CIDADE


A Secretaria Municipal de Agricultura em parceria com a Secretaria do Meio Ambiente iniciaram o plantio de árvores em locais públicos, como o Fórum Eleitoral, Fórum de Justiça e a Praça da Prefeitura. Os plantios irão se estender para as ruas do centro da cidade; são ipês amarelos e rosas, num total de duzentas árvores.


Objetiva-se o embelezamento, a redução do sol direto, maior conforto térmico dentre outros fatores. É muito importante que a comunidade ajude na manutenção e nos cuidados das árvores para que as mesmas atinjam o seus objetivos. 

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE REALIZA CHÁ ROSA EM COMEMORAÇÃO AO OUTUBRO ROSA.



A Secretaria Municipal de Saúde de São Jerônimo da Serra, por meio de seus gestores, promoveu atividades acerca do tema “Outubro Rosa”. O objetivo foi incentivar as mulheres a tomarem consciência das precauções e sintomas do câncer de mama e de colo de útero, bem como mobilizar a população em geral no combate ao câncer.

Na manhã desta, sexta feira, realizou-se o “Chá Rosa”, nas dependências do Salão Paroquial da Igreja Católica. O evento contou com a participação de varias mulheres, e teve como tema principal palestra sobre o câncer de mama e o câncer de colo de útero. O “Chá rosa das Mulheres”, teve como palestrante a Drª Valquiria Brum Mendes. 

Confira algumas dicas para realizar o autoexame de mama:
  • O Câncer de Mama é a maior causa de óbitos por cancro das mulheres brasileiras. Para prevenir o desenvolvimento e detectar precocemente essa doença, o autoexame das mamas é o primeiro passo.
Em frente ao espelho:
  • Posicione-se em frente ao espelho;
  • Observe os dois seios, primeiramente com os braços caídos;
  • Coloque as mãos na cintura fazendo força;
  • Coloque-as atrás da cabeça e observe o tamanho, posição e forma do mamilo;
  • Pressione levemente o mamilo e veja se há saída de secreção.
Em pé (pode ser durante o banho)
  • Levante seu braço esquerdo e apoie-o sobre a cabeça;
  • Com a mão direita esticada, examine a mama esquerda;
  • Divida o seio em faixas e analise devagar cada uma dessas faixas. Use a polpa dos dedos e não as pontas ou unhas;
  • Sinta a mama;
  • Faça movimentos circulares, de cima para baixo;
  • Repita os movimentos na outra mama.
Deitada
  • Coloque uma toalha dobrada sob o ombro direito para examinar a mama direita;
  • Sinta a mama com movimentos circulares, fazendo uma leve pressão;
  • Apalpe a metade externa da mama (é mais consistente);
  • Depois apalpe as axilas;
  • Inverta o procedimento para a mama esquerda.
Caso sinta algum nódulo ou mudança na textura ou tamanho, procure um médico ginecologista. Ele realizará o exame clínico de mama e poderá solicitar a mamografia para avaliar corretamente.

Vereadores podem receber 13º e abono de férias a partir de 2021

Em decisão divulgada nesta sexta-feira (27), o Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) entendeu a validade do pagamento de 13º e abono de férias aos vereadores dos 399 municípios do Estado, mas somente a partir do próximo mandato, ou seja, em 2021. O entendimento é resultado de resposta a consulta formulada pelo presidente da Câmara Municipal de Quedas do Iguaçu (Oeste), Eleandro da Silva. Relatada pelo conselheiro Ivens Linhares, a consulta, que tem força normativa, foi julgada pelo Pleno do Tribunal na sessão desta quinta-feira (26).

Segundo o presidente em exercício do TCE-PR, conselheiro Durval Amaral, o pagamento foi aprovado pelo Supremo Tribunal Federal (STF), mas precisa cumprir uma série de de condições. “Nós entendemos que nessa legislatura não pode ser pago, esse é o ponto inicial. Para estabelecer para as próximas legislaturas precisa ter lei específica e cumprir uma série de requisitos como previsão na Lei de Diretrizes Orçamentárias e na Lei Orçamentária Anual; o município não pode estar ultrapassando o limite com despesa de pessoal. Então, resumindo, para essa legislatura não pode ser pago”.

Além disso, por mais que várias entidades tentem convencer que os vereadores têm direito ao pagamento retroativo, o presidente do TCE-PR falou que isso é totalmente irregular. "Estão vetados o pagamento de 13º e do terço de férias retroativos e para os vereadores da atual legislatura".

Como se trata de benefícios diretos aos atuais parlamentares (que exercem a legislatura 2017-2020), vale o princípio da anterioridade. Mesmo que estabelecidos em lei aprovada, por exemplo, ainda neste ano, os pagamentos só deverão ocorrer na próxima legislatura, a partir de 2021.

O TCE-PR vai monitorar eventuais pagamentos irregulares desses benefícios por meio do Sistema Integrado de Atos de Pessoal (Siap). "Temos hoje uma malha eletrônica altamente eficiente, capaz de detectar imediatamente o pagamento de remunerações indevidas", alertou o presidente do TC-PR.

Um levantamento realizado pela Coordenadoria de Fiscalização Municipal (Cofim), sobre dados de 2016, apontou que o eventual pagamento de 13º e abono de férias aos prefeitos, vices e vereadores representaria um custo adicional de R$ 41,3 milhões anuais. Se somado os quatro anos de mandato, os custos seriam de R$ 165,3 milhões.

https://massanews.com/

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

São Jerônimo da Serra realizara nesta sexta feira (20) a XIII Conferência Municipal de Saúde


O Conselho Municipal de Saúde e a Secretaria Municipal de Saúde de São Jerônimo da Serra, tem a honra de convidar toda a população para a XIII CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE SAÚDE com o tema "O SUS QUE TEMOS E O SUS QUE QUEREMOS", o evento sera realizado nesta sexta-feira 20 de outubro das 13:00 as 17:00 horas no Salão Paroquial.

O encontro tem por finalidade reunir os vários segmentos da sociedade civil organizada, prestadores de serviço, profissionais da área e autoridades governamentais para avaliação da política municipal de saúde, propor diretrizes e estratégias para a organização do SUS, visando assegurar a melhoria da qualidade de vida da população.

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Horário de verão começa no próximo domingo


horário de verão de 2017 começa à 0h do próximo domingo (15). Com isso, os relógios deverão ser adiantados uma hora nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste do país.
A medida se encerrará à meia-noite de 18 de fevereiro de 2018, quando os relógios deverão ser atrasados nessas regiões.
Neste ano, o governo chegou a discutir a validade de manter o horário de verão, já que a medida vem perdendo eficácia do ponto de vista de economia energética. Dados do Operador Nacional do Sistema (ONS) mostraram que a economia com o horário de verão em 2016/2017 foi de 159,5 milhões de reais, menos que os 162 milhões de reais da temporada 2015/2016.
A justificativa do ONS é que é a temperatura que determina o maior consumo de energia, e não a incidência da luz durante o dia. Por isso, os picos de consumo ocorrem hoje entre as 14h e  as 15h, e não mais entre as 17h e  as 20h.

terça-feira, 10 de outubro de 2017

Prefeitura oficializa entrega de van para a Apae de São Jerônimo da Serra



O prefeito de São Jerônimo da Serra, João Ricardo (PPS), oficializou a entrega de uma Van Renault zero Km adaptada para transporte de Pessoas com Necessidades Especiais,  para a APAE do município. Esse veiculo era uma necessidade da entidade a qual trará melhorias em questões de qualidade de vida aos que usufruem dos serviços prestados pela Instituição, proporcionando maior autonomia para a Escola na realização de suas atividades externas e aos alunos que necessitam desta adaptação para sua locomoção a longas distâncias, maior autonomia, qualidade de vida e inserção social. 

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Município de São Jerônimo da Serra Recebe Médico do "Programa Mais Médicos “




Com Muito esforço do Prefeito João Ricardo (PPS) o Município de São Jerônimo da Serra recebeu nesta segunda feira (09/10), um  médico através do  Programa Mais Médicos, o Doutor Anderson Costa que estará a partir de agora a serviço da saúde do município.
O novo médico foi recepcionado nesta segunda pelo Prefeito João Ricardoe pela Secretária Municipal de Saúde Izamari Pereira.
Para a secretária de Saúde do Município, Izamari Pereira , a inclusão desse novo profissional no quadro de médicos da Atenção Básica, significa a ampliação dos serviços oferecidos à população e melhoria na qualidade da assistência médica.
O Prefeito João Ricardo destacou “O governo municipal vem trabalhando para que os serviços públicos de saúde sejam ofertados com qualidade à população. Neste sentido, as equipes da saúde estão empenhadas em cumprir todos os preceitos legais inerentes às suas atribuições, aderindo e desenvolvendo campanhas, participando de capacitações e buscando inovar cotidianamente. Ter uma população cada vez mais saudável e ativa é um dos compromissos da nossa Gestão e com  chegada desse profissional do Programa Mais Médicos proporcionará a ampliação dos serviços de saúde e a melhoria nos atendimentos da população.”  
Segundo ainda o prefeito  “O Programa Mais Médicos” busca resolver a questão emergencial do atendimento básico ao cidadão, mas também cria condições para continuar a garantir um atendimento qualificado para aqueles que acessam cotidianamente o SUS. Além de estender o acesso, o programa provoca melhorias na qualidade e humaniza o atendimento.
De acordo com a Secretária Municipal de Saúde o novo médico ira atender no Distrito de Terra Nova de manhã e a tarde de segunda a quinta feira, onde logo após a apresentação ao prefeito o novo médico foi apresentado a Equipe e conheceu a UBS onde ele irá atuar.
Entenda Mais Sobre Mais Médicos.
O Programa Mais Médicos surgiu para enfrentar um problema histórico – a falta e a má distribuição de médicos – especialmente no interior do país e nas regiões mais afastadas dos grandes centros urbanos. O eixo assistencial do programa (provimento de médicos) atende de imediato a demanda levantada pelos municípios aderidos.
Em conjunto com o provimento emergencial de médicos, o Mais Médicos também está ampliando e qualificando a formação de médicos, além de promover melhorias na qualidade da infraestrutura das Unidades Básicas de Saúde (UBSs) de todo o país.
Em dois anos, o programa alcançou 4.058 municípios (73% das cidades brasileiras e 34 Distritos Sanitários Especiais Indígenas – DSEI), e ampliou para 18.240 o número de vagas para médicos em 2015, o que garante assistência em saúde a cerca de 63 milhões de pessoas.
Os médicos têm suprido as carências de atendimento à população, e imprimido um modelo de atenção que acolhe e cuida das pessoas e oferece uma atenção integral para toda a família.
Com o Mais Médicos, o município assegura e amplia o atendimento básico à sua população gerando mais saúde e mais qualidade de vida. Entre os cidadãos atendidos pelo Mais Médicos, 85% dizem que a qualidade do atendimento médico está melhor ou muito melhor após a chegada dos profissionais do programa e 82% afirmam que as consultas passaram a resolver melhor os seus problemas de saúde, aponta a pesquisa realizada pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) em parceria com o Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (Ipespe).

sábado, 7 de outubro de 2017

Redução de verbas federais e custo do funcionalismo impactam prefeituras

A queda de recursos do FPM (Fundo de participação dos Municípios), o peso da folha de pagamento no orçamento municipal e o repasse federal insuficiente para arcar com programas na saúde, educação e assistência social são as principais queixas das prefeituras de todo o País. É o que aponta pesquisa da CNM (Confederação Nacional dos Municípios) que ouviu gestores públicos sobre as dificuldades enfrentadas pelos prefeitos para arcar com a crescente despesa da máquina pública, melhorar os serviços públicos e investir em infraestrutura.

A estimativa é que o repasse federal do FPM (Fundo de Participação dos Municípios) seria de R$ 97,626 bilhões, entretanto, fechará o ano em torno de R$ 94,656 bilhões – queda de 3% em relação ao projeto de Lei Orçamentária Anual. Apesar dos números serem projeções que dependem de fatores macroeconômicos que podem variar ao longo do tempo, os gestores utilizam este valor na elaboração dos seus orçamentos, o que provoca efeito em cadeia.

"Apesar de o índice não parecer expressivo, ele é preocupante. Deve se levar em conta que as despesas também aumentaram nesse período", lembra o presidente da AMP (Associação dos Municípios do Paraná), Marcel Michelotto (PSDB), ao elencar os recentes aumentos na energia elétrica e no combustível que têm impacto no orçamento municipal.
A Constituição Federal de 1988 definiu que os impostos devem ser compartilhados com os Estados e municípios, e o bolo que compõe o FPM é o recurso advindo do IR (Imposto de Renda) e do IPI (Imposto sobre produtos industrializados). Segundo a CNM, 80% dos prefeitos do país estão em primeiro mandato e não conseguem mostrar resultados por conta da queda nos recursos repassados pela União que fica com a maior fatia do bolo.

"O gestor municipal tem que ser profissional, não há mais espaço para amadores", salienta Michelotto, que é prefeito de Assis Chateubriand (Oeste). Ele lamenta a queda no repasse de recursos federais, entretanto, lembra que os prefeitos também têm de fazer o dever de casa. "Isso aqui é uma empresa, temos que fazer os ajustes necessários. Diminuir despesas e atualizar os impostos e encargos municipais, não tem outro jeito."

O mesmo argumento foi utilizado pelo prefeito de Londrina, Marcelo Belinati (PP), que adotou medidas impopulares como revisão da planta de valores do IPTU, contingenciamento de gastos e, por conta de deficit nas contas (estimado atualmente em R$ 47 milhões), não pôde investir em obras de melhoria.



SUBFINANCIAMENTO 
Entre as dificuldades relatadas, está o subfinanciamento de recursos que não cobrem os custos das prefeituras para arcar com programas federais, como o Programa Saúde da Família. Segundo o estudo da CNM, o custo de execução é de R$ 48 mil. Cada equipe é composta de um médico, um enfermeiro e um auxiliar de enfermagem e o governo federal repassa R$ 10,69 mil para municípios até 30 mil habitantes e R$ 7,13 mil para os acima de 30 mil habitantes. Os mesmos exemplos foram trazidos para merenda e o transporte escolar.

Para Michelotto, os programas subfinanciados e defasados obrigam contrapartida alta dos municípios. "Vai chegar um momento que não poderemos fazer manutenção de escolas, por exemplo."

Outra preocupação é com a queda de 15% no âmbito da Proteção Social Básica, com valor aproximado de menos de R$ 227 milhões. A entidade acredita que se trata de uma ação grave, que compromete os serviços ofertados nos Cras (Centros de Referência de Assistência Social) em mais de 99% dos municípios brasileiros. ""Como parar esses programas? Não podemos deixar essas pessoas desassistidas?", indaga Michelloto.

FOLHA DE PAGAMENTO 
Segundo dados da CNM, no Paraná, as prefeituras aumentaram em 12,83% os gastos com folha de pagamento de funcionários ativos e inativos entre 2015 e 2016. O índice está bem acima da média nacional que foi de 5,43%. A LRF (Lei de Responsabilidade Fiscal) estabelece em 54% da receita corrente líquida o teto de gastos com folha de pagamento. No Estado, 26 municípios extrapolaram esse patamar.

O presidente da AMP participou, na terça-feira (3), com outros prefeitos de reunião com o presidente Michel Temer (PMDB) em Brasília para discutir a questão da dívida previdenciária dos municípios. Isso porque o peemedebista vetou integralmente dois artigos da lei que permite o parcelamento de dívidas tributárias com a União. O veto do Executivo foi na revisão da dívida previdenciária dos municípios, com a implementação do efetivo encontro de contas entre débitos e créditos previdenciários dos municípios e do Regime Geral de Previdência Social.

Sobre os avanços com o governo federal, o presidente da AMP cita o Refis que foi aprovado nesta semana no Senado que permitiu que as dívidas municipais com a União que antes podiam ser parceladas em 60 e que passou para 200 meses. Também houve perdão em multas e juros.
Guilherme Marconi
Reportagem Local/FOLHA DE LONDRINA

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Richa recepciona novos médicos que vão atuar no Paraná


O governador Beto Richa recepcionou nesta quinta-feira (05) os 141 profissionais do programa Mais Médicos que atuarão no Paraná a partir de segunda-feira (09). Nesta etapa, cerca de 100 municípios paranaenses, de todas as regiões, receberão médicos brasileiros que se formaram no exterior. Eles fazem parte de um contingente de 1.375 profissionais contratados pelo Ministério da Saúde.
Os profissionais vão atuar na atenção primária de saúde e com as equipes de saúde da família. “São pessoas que têm a nobre missão de garantir saúde para a nossa população e salvar vidas”, disse Richa. “O Paraná recebe estes profissionais de braços abertos e com toda a estrutura que contribui para um trabalho mais eficiente“, afirmou Richa.
Richa destacou que a gestão da saúde no Paraná é referência para o resto do País e que o Governo do Estado ampliou o investimento na área. Nos dez anos anteriores à atual gestão, foram investidos R$ 6,7 bilhões, enquanto nos últimos sete anos o governo estadual destinou R$ 15 bilhões para a saúde. “Levamos a gestão da saúde com muita seriedade, porque é uma área essencial para a nossa população, principalmente a mais humilde, que precisa de mais cuidado e de um atendimento mais humano”, ressaltou.
O governador apresentou alguns programas que se destacam na área, como o HospSUS, de apoio aos hospitais públicos e filantrópicos, e o atendimento aeromédico, que utiliza os helicópteros do Estado para os resgates de urgência e emergência e para o transporte de órgãos para transplante.
REGIÕES – Atualmente, o Estado conta com 945 médicos do programa em todas as regiões. Em agosto, 34 profissionais cubanos vieram ao Paraná para trabalhar em 18 municípios. “O Paraná sempre apoiou esta iniciativa, que tem um impacto importante nos municípios”, afirmou o secretário de Estado da Saúde, Michele Caputo Neto.
De acordo com ele, o trabalho na atenção básica é o diferencial desses profissionais. “Esperamos conseguir resolver de vez o problema da alocação de médicos nas periferias dos grandes centros, nos pequenos municípios e nas regiões de difícil acesso”.
A vice-governadora Cida Borghetti, ressaltou que os profissionais vão reforçar o atendimento da saúde no Estado. “São médicos que vêm ao Paraná para cuidar e salvar vidas. O Paraná é o estado que mais investe na atenção às pessoas, priorizando a saúde”, afirmou.
PROGRAMA – Criado em 2013, o programa Mais Médicos ampliou a assistência na atenção básica, fixando médicos nas regiões com carência de profissionais. O programa conta com 18.240 vagas em mais de 4 mil municípios e 34 DSEIs, levando assistência para cerca de 63 milhões de brasileiros.
Desde 2016, o Ministério da Saúde está abrindo oportunidades para a substituição de médicos da cooperação com a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS). Foi feito um levantamento para ver quais cidades atendidas por profissionais cubanos poderiam atrair brasileiros. A expectativa é realizar 4 mil substituições em três anos, tornando a iniciativa mais autossuficiente. Até o momento, mais de mil postos foram substituídos por brasileiros.
O médico Wakson Morenon, de 33 anos, é de Foz do Iguaçu e se formou no Paraguai. Ele agora vai atender no município de Mato Rico, no Centro do Estado. “O programa é bom para ambos os lados. Para o médico formado no exterior é uma oportunidade de trabalho, mas a principal beneficiada é a população, porque terá o atendimento na atenção básica”, disse. “Normalmente os médicos formados no Brasil querem atuar na alta complexidade. A atenção básica está sendo ressuscitada com o Mais Médicos”, afirmou.
Depois de seis anos estudando na Bolívia, a médica Andréia Matias, de 32 anos, tem agora a chance de trabalhar perto de casa. Ela é natural de Paranavaí e vai trabalhar em Marilena, ambos na região Noroeste. “Agora estou apenas a apenas 80 quilômetros de casa, perto da família. A expectativa é a melhor possível, porque as portas estão abrindo para a gente”, contou.
Segundo a gestora do Mais Médicos no Paraná, Dressiane Zanardi, o programa é hoje a principal força da atenção básica e da estratégia de saúde da família. Ela considera a iniciativa fundamental para elevar os níeis de atendimento em todo o País. “Os municípios muitas vezes não têm condições de bancar um médico com recursos próprios”, explicou.
PRESENÇAS – Participaram da solenidade a secretária da Família e Desenvolvimento Social, Fernanda Richa; o secretário do Cerimonial e Relações Exteriores, Ezequias Moreira; o diretor administrativo do BRDE, Orlando Pessuti; a secretária Municipal de Saúde de Curitiba, Márcia Huçulak; e os deputados estaduais Alexandre Curi e Luiz Cláudio Romanelli, líder do governo na Assembleia Legislativa.
BOX - Municípios que recebem os profissionais do Mais Médicos
No Paraná, irão receber os novos médicos os municípios de Prudentópolis (5), Pitanga (3), Ivaiporã (3), Capitão Leônidas Marques (3), Mangueirinha (3), Siqueira Campos (2), Manoel Ribas (2), Castro (2), Toledo (2), Roncador (2), Umuarama (2), Pinhão (2), Realeza (2), Cambará (2), Santo Antônio da Platina (2), Guaíra (2), Curitiba, Honório Serpa, Guairacá, Sapopema, Querência do Norte, Santa Fé, Iporã, Colombo, Santo Antônio do Sudoeste, Coronel Domingos Soares, São Jerônimo da Serra, Santa Helena, Rio Azul, Marilena, Perobal, Espigão Alto do Iguaçu, Guamiranga, Porto Vitória, Clevelândia, Sulina, Sengés, Itaguajé, Conselheiro Mairinck, Jundiaí do Sul, Vitorino, Assis Chateaubriand, Moreira Sales, Fernandes Pinheiro, Mariluz, Saudade do Iguaçu, Ramilândia, Guaraci, Maringá, Cascavel, Engenheiro Beltrão, Diamante d’Oeste, Teixeira Soares, Figueira, Coronel Vivida, Itapejara d’Oeste, Arapoti, Santa Inês, Antonina, Inácio Martins, Porto Amazonas, Lapa, Rio Branco do Ivaí, Congonhinhas, Tuneiras do Oeste, Cidade Gaúcha, Campo Mourão, Marumbi, Ampére, Imbaú, Terra Rica, Altamira do Paraná, Cruzmaltina, Paranavaí, Rosário do Ivaí, Ponta Grossa, Marquinho, Lindoeste, Nova Londrina, Tomazina, Mandirituba, Luiziana, Rio Branco do Sul, União da Vitória, Flor da Serra do Sul, Francisco Alves, Iretama, Palmas, Ribeirão do Pinhal, São Jorge do Patrocínio, Foz do Jordão, Santa Cecília do Pavão, Carambeí, Goioxim, Três Barras do Paraná, Jardim Alegre, Douradina, Sertaneja, Foz do Iguaçu, Nova Santa Bárbara, Itambaracá, Faxinal, Santa Amélia, Nova Olímpia, Ivaí, Santana do Itararé, Nova Cantu, São Pedro do Ivaí, Cruzeiro do Oeste, Alto Piquiri, Mato Rico, Cianorte, Pinhalão, Nova América da Colina, Atalaia e Santa Cruz de Monte Castelo.
AEN

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Outubro Rosa alerta para o cuidado com a saúde da mulher

O Governo do Estado aproveita o mês de outubro para dar destaque à saúde das mulheres. O Outubro Rosa, instituído em 2011 por meio de lei estadual, neste ano traz como tema ‘Prevenção e Autocuidado: O que eu preciso saber sobre o Câncer de Mama e do Colo do Útero’. A abertura oficial acontece nesta terça-feira (3), em Curitiba.
“Nunca é demais lembrar da importância e da necessidade de realizar o exame preventivo e a mamografia periodicamente. São exames de fácil acesso e disponíveis gratuitamente pelo SUS. Eles são a única forma de detectar precocemente e, consequentemente, ampliar as chances de cura dos cânceres do colo do útero e de mama”, enfatiza o secretário estadual da Saúde, Michele Caputo Neto.
O apelo é voltado principalmente às mulheres entre 50 e 69 anos. “Nessa faixa etária o risco de desenvolver o câncer de mama é muito maior. Esse é o tipo de tumor que mais mata mulheres acima dos 60 anos no país. Por isso, a recomendação é que, quando assintomáticas, elas façam a mamografia para rastreamento a cada dois anos”, detalha o superintendente de Atenção à Saúde, Juliano Gevaerd.
CASOS – O Instituto Nacional de Câncer (Inca) estima que, em 2017, o Paraná registre 3,7 mil novos casos de câncer de mama. No Brasil, esse número chega a quase 58 mil casos. Em 2016 houve 1.010 mortes em decorrência do câncer de mama feminino no Estado. No entanto, quando detectado precocemente as chances de cura chegam a 95%.
Apesar disso, mais da metade das idosas considera desnecessário fazer os exames. No Paraná, a busca pela mamografia cresceu nos últimos anos, mas o número aumentou muito em faixas etárias sem recomendação. No ano passado foram feitas quase 317 mil mamografias no Estado – 122 mil em mulheres fora do grupo prioritário, ou seja, abaixo dos 50 e acima dos 69 anos.
Fora da faixa etária, o exame é recomendado somente para mulheres com sinais ou sintomas de câncer de mama, como nódulo, retração do mamilo e outros, ou com histórico familiar em parente de primeiro grau, como mãe, irmã ou filha. Além dos exames periódicos, a adoção de hábitos saudáveis também contribui para a prevenção do câncer.
Estima-se que 28% dos casos de câncer possam ser prevenidos por mudanças na alimentação e inclusão de atividade física no cotidiano. “Também queremos incentivar uma rotina saudável, pois o estilo de vida das mulheres pode ser um fator de risco para o desenvolvimento do câncer. Por exemplo, o sobrepeso, o tabagismo e a ingestão excessiva de álcool”, complementa Gevaerd.
ABERTURA – A abertura oficial do Outubro Rosa acontece nesta terça-feira (03), a partir das 8h30, no Palácio das Araucárias, em Curitiba. Na ocasião, serão apresentados dados do câncer de mama e do colo do útero; fatores de risco, diagnóstico e apresentação clínica do câncer de mama, além de um panorama antropológico sobre o autocuidado. A entrada é gratuita, não é necessária inscrição prévia e haverá emissão de certificado. O evento também será transmitido online pelo link http://webcast.pr.gov.br/sesa/eventos/128/.

MATERIAIS – Para ampliar ainda mais a divulgação da campanha, o Governo do Estado disponibiliza materiais educativos para empresas e outras instituições. Fôlderes e cartazes podem ser retirados de segunda a sexta-feira, das 9h às 18h, na Secretaria de Estado da Saúde, na Rua Piquiri, número 170, em Curitiba. A reserva deve ser feita previamente pelos telefones (41) 3330-4534/4552.
No caso do Litoral ou do Interior do Estado o material deve ser retirado nas Regionais de Saúde. Confira os endereços no site da Secretaria da Saúde (http://www.saude.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=2752). A versão digital também está disponível no site http://www.saude.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=3271.
Serviço
Outubro Rosa – Abertura Oficial
Data: 03/10 (terça-feira)
Horário: das 8h30 às 12h
Local: Auditório Mário Lobo, no Palácio das Araucárias - Rua Jacy Loureiro de Campos, s/nº - Centro Cívico - Curitiba