Pesquisar

domingo, 18 de março de 2018

Governo revoga resolução que previa curso e prova para renovar habilitação

O governo voltou atrás e revogou a resolução do Denatran que obrigava os motoristas a fazer curso teórico e prova para renovar a carteira de habilitação. Essas novas regras tinham provocado críticas de motoristas e especialistas.
O recuo foi uma determinação do ministro das Cidades, Alexandre Baldy. A nota divulgada no início da noite deste sábado (17) diz que o diretor do Departamento Nacional de Trânsito e presidente do Conselho Nacional de Trânsito, Maurício Alves, revoga a resolução 726.
Essa resolução foi publicada na semana passada e dizia que, a partir de junho, quem precisasse renovar a carteira de motorista para dirigir carro e moto deveria fazer um curso de dez horas de duração e uma prova. Hoje, a única exigência é fazer um exame médico. A alteração provocou críticas. “Não tem nada a ver. Para que mais burocracia do que já tem?”, questiona um motorista.
Um especialista diz que a ideia da resolução não faz sentido. “Esses cursos serão praticamente inúteis. É uma coisa inventada em um gabinete sem consequências e que terá pouquíssimo efeito prático”, diz o doutor em segurança no trânsito David Duarte.
O argumento do Denatran para a mudança era o aperfeiçoamento dos motoristas. “É uma preocupação em educar, em formar. E a educação é a base para se ter, nas ruas, um condutor consciente, responsável, respeitando todos que ao seu redor estão”, afirma o coordenador de educação do trânsito do Denatran, Jackson do Sena.
No Brasil, a carteira de habilitação vale por um período de três a cinco anos, de acordo com da idade do motorista.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário sobre essa notícia