Pesquisar

terça-feira, 27 de outubro de 2020

Que alterações eu posso fazer em um imóvel alugado?

Fonte: Pixabay

A prática de alugar imóveis em Londrina pode compreender um processo complexo e burocrático, assim como pode ocorrer da maneira mais ágil possível. Essas duas possibilidades dependem exclusivamente do locador, do locatário e, principalmente, do bom senso de cada um, partindo da premissa que o bem-estar do próximo está condicionado aos seus atos. Enquanto o panorama econômico brasileiro esteve aquecido, as aquisições de imóvel faziam-se cada vez mais presentes em nosso país, de forma que o financiamento de uma residência pudesse ser concretizado e, sendo assim, o sonho de grande parte dos brasileiros fosse realizado.

Afinal, conforme a economia apresenta credenciais positivas, mais a empregabilidade estará garantida, o consumo se intensificará e o consumidor estará próximo de adquirir uma propriedade. No entanto, o atual recorte financeiro não favorece essa movimentação, cujo montante a ser aplicado é elevado e pode comprometer suas finanças em longo prazo. Deste modo, a alternativa mais condizente com a realidade do consumidor consiste no aluguel de apartamentos e casas, que exigem um investimento mensal e um contrato de 18 meses, no mínimo.

Diante de tal possibilidade, alguns locatários que, por anos, vislumbram residir um imóvel de acordo com todos os seus anseios, se deparam com uma propriedade desalinhada com suas expectativas, mesmo que concordem com os termos contratuais e venham a ocupar essa oferta. As reformas, com isso, são aderidas por parte do inquilino, moldando o espaço conforme suas principais necessidades e, ao mesmo tempo, transgredindo a burocracia existente nos contratos assinados. Neste artigo, ressaltaremos quais alterações podem ser efetuadas no imóvel, portanto, preservando a Lei do Inquilinato. Basta seguir conosco!

A importância da Lei do Inquilinato

Se enganam aqueles que tratam a Lei do Inquilinato como um meio de cobrar os deveres somente dos inquilinos. Assim como os locatários, os locadores também possuem o compromisso de disponibilizarem um imóvel que, além de praticar um preço justo, abrange condições estruturais adequadas para serem ocupadas, garantindo satisfação aos moradores e preservando a integridade física dos mesmos.

Fato é que, quando ingressamos numa casa ou apartamento através de um aluguel, dificilmente consideramos a possibilidade daquele espaço nos trazer dor de cabeça a partir de problemas manifestados no dia-dia, afinal, estamos honrando nossos compromissos por meio do pagamento rigoroso do aluguel.

Os tipos de alterações nos imóveis

Contudo, algumas adversidades podem surgir, desde infiltrações, rachaduras, problemas elétricos e, até mesmo, impasses relacionados à acústica do imóvel. E, tratando-se de pendências deste gênero, cujo inquilino é inegavelmente afetado, os reparos são imprescindíveis, a fim de proporcionar maior tranquilidade e bem-estar ao morador. Portanto, essas benfeitorias são amparadas por lei e podem representar troca de telhas, pinturas para cobrir infiltrações e até mesmo substituição de tubulações, não necessitando de uma consulta ao proprietário e, caso o mesmo não queira arcar com os custos, revertendo em um decréscimo do aluguel daquele mês.

Já as benfeitorias voluptuárias, que não agregam valor estrutural aos imóveis, são tratadas de outra forma, correspondendo a mudanças como a decoração do espaço e exigindo uma consulta ao locador - que não deverá pagar pelo reparo. As reformas mais significativas, que consistem em benfeitorias úteis - troca de portas e janelas, instalação de grades, reparos estruturais na varanda e etc -, entretanto, dependem da autorização do proprietário e, em caso da reprovação, não devem ser promovidas, podendo culminar com quebra de contrato.

O que você deve priorizar ao deixar o imóvel

Pautando-se no conceito principal do contrato, cuja residência deve ser devolvida em plenas condições de uso, o locatário tende a zelar pelo espaço como se fosse sua propriedade e, na próxima busca pelo aluguel de casa em Londrina, outro consumidor estará mais inclinado a se interessar por esse imóvel, uma vez que a edificação estará amplamente preservada.

Gostou deste artigo sobre Que alterações eu posso fazer em um imóvel alugado? Não perca tempo e compartilhe-o em suas redes sociais!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário sobre essa notícia